O Apocalipse Desmascarado: Nem Anjos, Nem Demônios, Apenas E
×
O Apocalipse Desmascarado: Nem Anjos, Nem Demônios, Apenas E
O Apocalipse Desmascarado: Nem Anjos, Nem Demônios, Apenas E
R$ 45,00
(indisponível)
Avise-me quando chegar:
ISBN 8587004069 EAN/ISBN-13:9788587004062
Livro: O Apocalipse Desmascarado: Nem Anjos, Nem Demônios, Apenas Ets - 2ª Edição
Autor Ernesto Bono
Formato:16 x 23 cm - 390 págs. Kg:0,570 Ano: 1999

DISPONÍVEL Segunda edição:

Conheça neste livro a mensagem do apocalipse verdadeiro (revelação) escrita po Jesus... Ernesto Bono, nascido no Norte da Itália em 19 de julho de 1934, e residente no Brasil desde março de 1947. Naturalizado brasileiro e é escrito desde 1967. Teve seu primeiro livro publicado em 1970 pela renomada Editora Civilização Brasileira do Rio e outros quatro mais, pela Editora Record S/A, Rio. Portanto, ao lado, 8 livros publicados e 15 ainda inéditos. Formado pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Estado do Rio Grande do Sul em 1968, com longa experiência e vivência psiquiátrica. Trabalhou no Hospital Psiquiátrico São Pedro de Porto Alegre, durante 23 anos. Como médico, exerce a medicina interna, medicina do trabalho, a psiquiatria e medicinas alternativas. Profundo conhecedor da Bíblia em si e inovador da Doutrina Cristã, tendo escrito 10 livros a respeito do tema; só um publicado: “Cristo, Esse Desconhecido”. O trabalho do autor visa uma total dinamização, renovação e atualização do Cristianismo. Exegeta do Antigo e Novo Testamento e estudioso do Cristianismo em si. Profundo conhecedor das filosofias e religiões orientais, do Espiritualismo em geral, da Parapsicologia, Metapsíquica, Apometria. Ufólogo há 45 anos. Palestrante em diferentes congressos nacionais e internacionais, discorrendo sobre Cristianismo, Budismo, Zenbudismo, Taoísmo, Hinduísmo, Yoga, Ufologia, medicinas alternativas, antipsiquiatria, educação, novos enfoques para o conhecimento. O autor é totalmente a favor do prevalecimento imediato de novos paradigmas para o conhecimento humano. Segundo ele, o homem, em sua compreensão e percepção, tem que transcender urgentemente a lógica e a razão, indo além mesmo da própria intuição.